Dinâmicas que exigem trabalho em equipe

É praxe no mercado buscar candidatos que saibam trabalhar em equipe. Entretanto, algumas carreiras têm no seu cerne a necessidade de um bom relacionamento interpessoal e a atuação em equipe no desenvolvimento de projetos. Nestes casos, são aplicadas algumas dinâmicas no processo seletivo focadas em equipe.

“Relação eu-outro”

Objetivo: Fazer com que os participantes entrem em contato com um processo de percepção deles em relação aos outros.

Duração: 40 minutos

Recursos: Flip Chart, pincel atômico, papel sulfite, caneta.

1. O Facilitador pede que os participantes procurem por alguém para formar um par. Devem escolher alguém que seja bem diferente de você.

2. A escolha deve ser aceita pelo outro. Se você for escolhido, a decisão de concordância é sua. Se um dos membros recusar, a dupla não se forma.

3. Os pares iniciam um diálogo particular para exame das escolhas (critério, decisão, sentimento)

4. Após a análise do processo de formação da dupla, cada para busca descobrir uma palavra-chave que caracteriza a dupla.

5. As palavras-chaves de cada dupla são escritas em mural ou quadro disponível

6. As palavras chaves servem de matéria-prima para a discussão plenária e elaboração coletiva da palavra-chave caracterizadora do grupo como um todo.

7. Procede-se a analise dos resultados obtidos  e do processo de cada dupla e do grupo total. 

8. Formulam-se conclusões provisórias a partir de insights e hipóteses individuais.


“Trabalhar com os Outros” 

Objetivo:  possibilitar um pré-diagnóstico das principais dificuldades de cooperação no grupo e de potencialidades ainda não exploradas, tanto individual quanto coletivamente

Duração: 60 minutos

Recursos: Flip Chart, pincel atômico, papel sulfite, caneta esferográfica.

Procedimento:

 1. Pense como você participa das atividades em grupo

2. Lista suas percepções e sentimentos a esse respeito em duas colunas como se segue

3. Minhas dificuldades no trabalho em grupo      /       Minhas facilidades no  trabalho em grupo

4. As respostas individuais são transcritas em mural, organizadas e sintetizadas para exame de semelhanças e diferenças, coerências e incoerências, concentração e dispersão de freqüência

 5. Análise das respostas em plenária

6. A partir desses resultados, o grupo pode estabelecerá prioridades para aspectos a serem trabalhados/corrigidos e habilidades a serem desenvolvidas.

“Interação Diversificada” 

Objetivo: Trabalhar a interação dos participantes através da comunicação não verbal e não visual.

Duração: 60 minutos

Recursos: Flip Chart, pincel atômico, vendas para os olhos. 

Procedimentos:

  1. Durante os próximos 10 minutos, a interação no grupo será não verbal. Utilize formas não-verbais para comunicar-se com os outros: sorrisos, mímica, gestos, postura e movimentos corporais, sons, canto (sem palavras). Não escreva palavras.
  2. Fim do tempo, pense a respeito de que experimentou e observou. Que idéias e sensações surgiram? Facilidades e dificuldades durante o exercício. Satisfações e insatisfações. Hipóteses a serem testadas em outra ocasião.
  3. Exponha suas observações ao grupo e troque impressões com os outros
  4. Agora, durante os próximos 10 minutos, a interação no grupo será verbal, porém com os olhos vendados (verificar se algum participante apresenta fobia de vendar os olhos, incomodo e propor soluções, como por exemplo, apenas fechar os olhos).
  5. Fale naturalmente e ouça os outros membros.
  6. Agora abra os olhos e pense sobre essa experiência. Como você percebeu a vivência? Que aspectos ficaram mais marcados?
  7. Exponha suas observações ao grupo e verifique concordâncias e discordâncias entre as observações.
  8. Análise comparativa de processos:

- Compare os dois processos vivenciados nessa sessão, aproveitando suas próprias observações e as dos outros membros.

- Procure formular algumas conclusões provisórias sobre processo individual, processo grupal, facilidades e dificuldades de interação em modalidades menos convencionais.

“Simbólico”

Objetivo: introduzir uma análise da importância de dar e receber feedback dentro das equipes de trabalho de uma maneira simbólica que inspire insights e conclusões provisórias de como utilizá-lo da melhor maneira possível.

 Duração: 90 minutos

Recursos: cartões, caixa, papel, caneta esferográfica.

Procedimento:

  1. Escreva seu nome no canto superior de um cartão fornecido pelo Facilitador
  2. Os cartões são colocados numa caixa e embaralhados
  3. A caixa é passada pelo grupo e cada pessoa tira um cartão
  4. Escreva suas impressões sobre a pessoa cujo nome está no cartão, respondendo a seguinte pergunta: “ Se esta pessoa fosse uma cor, que cor seria?
  5. Recoloque o cartão na caixa e retire outro cartão. A pergunta agora é: “Se esta pessoa fosse um Alimento, que alimento seria?”
  6. E assim sucessivamente com as seguintes impressões:

- Som

- Objeto

- Livro

- Música

- Mensagem

- Perfume

- Sonho

  1. Cada pessoa recolhe seu cartão e reflete sobre as impressões dos outros.
  2. Análise de processo: pensamentos e sentimentos são expostos livremente, hipóteses são formuladas, alcançando-se insights e conclusões provisórias.
  3. Avaliação da reunião, trazendo o ensinamento teórico, segundo Felá Moscovici,  do significado da palavra FEEDBACK:

- Porque é difícil receber feedback?

- Porque é difícil dar feedback?

- Qual o momento certo de fazer um feedback em sua equipe?

- Como superar as dificuldades?